BRASILEIROS LGBT NO MUNDO

Escrito por Beth Fernandes

 Introdução

Temos muitos brasileiros LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais) no exterior e temos registrado ocorrências de episódios por falta de informação em diversos países. Esses brasileiros são muitas vezes jovens e com pouca informação a residir no exterior. As dificuldades que enfrentam fora do Brasil assumem talvez características do tráfico de pessoas e ou de exploração de trabalho por falta de acesso a informação e comunicação. Viver fora de seu país requer cuidado e principalmente informação. As situações encontradas pelas embaixadas e consulados do Brasil são quase sempre resultantes do envolvimento de pouca informação e que pode causar constrangimento e retorno migratório. Podemos falar de irregularidade migratória e ou na qualidade de turista e ser estrangeiro com status de turista que não podem trabalhar legalmente em outro país. A cidadania brasileira seja em qualquer país deve ser garantida. São essas dúvidas e principalmente como manter a cidadania no caso sendo LGBT que possibilitou a criação deste documento – Cartilha da Cidadania: Brasileiros LGBT no Exterior. A Cartilha LGBT, elaborada em parceria pensa em dar EIC (Educação, Informação e Comunicação) sobre assuntos da discriminação e o preconceito encontrado quando falamos da população LGBT em situação de migração ou refúgio. Mas quantos são os LGBT no exterior?  Não se sabe bem ao certo o quantitativo mas temos um fluxo migratório de busca de diferentes países que mais se identificam a cada letrinha “LGBT”. Exemplo deste são as pessoas trans (letra T) na busca de status migratório na Itália. Assim, o compromisso aos Direitos Humanos e as causas humanitárias a essa população se faz necessária ser registrada como cartilha LGBT. Quando falamos de vulnerabilidades e talvez o adoecimento psico/social no exterior não se catalisou o quantitativo da população LGBT que cruza o Brasil na busca de condições melhores. E o aumento se torna muito significativo e junto a isso várias violações dos direitos humanos que são cometidos aos brasileiros em diferentes países podem ser evitadas com informações. Os dados falam por si, no Ministério das Relações Exteriores indicam que mais de 1 milhão de brasileiros vivem nos EUA – Estados Unidos da América. E mais 2 milhões na Europa. Mas onde estão os brasileiros LGBT que vivem no exterior? A procura é maior na Europa ou no EUA desta população? Segundo as estimativas do Itamaraty e as estimativas dos postos consulares e levando também em conta fontes oficiais e não oficiais, os brasileiros registrados formalmente em cada país podem ser muito maior que os 3.500.000. Já o número de pessoas LGBT pode ser considerado pequeno quando comparado à população cisgênera; (Cisgênero (Cis) é o termo utilizado para se referir ao indivíduo que se identifica, em todos os aspectos, com o seu “gênero de nascença” é a oposição do transgênero, pois este último se identifica com um gênero diferente daquele que lhe foi atribuído quando nasceu). Segundo o Itamaraty dos 3.500.000 brasileiros que se estima que vivam no exterior calculamos que 10% destes são LGBT, ou seja, no mínimo 350 mil brasileiros LGBT em outros países. Os estudos demográficos de orientação sexual e identidade de gênero encontram diversos problemas metodológicos. Primeiro, existe um grande número de indivíduos que prefere não revelar sua orientação sexual em pesquisas, por medo de ser descoberto no trabalho, medo de sofrer violência, por pressão social ou familiar ou por influência religiosa. E outro problema é que pessoas inseguras de sua sexualidade ou que desejam omitir sua orientação sexual simplesmente se recusam a participar e não aparecem nos dados. Sem entrar no recorte de migração sexual onde pessoas migraram por causa de sua orientação sexual ou identidade de gênero e ou para assumir tal condição sexual em outras comunidades e ou outros países. Assim esta estimativa de 350 mil está sendo calculada como referência estatística sem o cálculo de familiares, parceiros, amigos e outros deste mundo afetivo e social da população LGBT.O conhecimento é que os brasileiros emigrados somam cerca de 3.500.000, segundo pesquisa publicada no mês de fevereiro do ano 2019 pelo Ministério das Relações Exteriores. E a cartilha LGBT vem com essa intenção de informação dos direitos humanos e garantia dos mesmos no mundo para brasileiros LGBT no exterior que daremos o nome de CARTILHA LGBT. Daremos o nome de cartilha, pois o principal objetivo é nomear, conceituar e informar as terminologias adotadas pelo movimento social e pela política social do mundo da diversidade.

Orientação Sexual e Identidade de Gênero

Refletir sobre temas e ou fenômenos pertencentes às orientações afetivas sexuais e as identidades de gêneros possibilita abrir alternativas de relação do ser humano com o mundo…..

LGBTs no Mundo

As estimativas do número de brasileiros no exterior feitas pelo Itamaraty buscam levar em conta vários fatores como: dados oficiais fornecidos por autoridades migratórias locais; censos oficiais; número de eleitores registrados na jurisdição; número de  ….

LGBT Suíça

A ILGA International Lesbian and Gay Association – Associação Internacional de Lésbicas e Gays produz todos os anos uma avaliação da situação legal das comunidades LGBT em países membros das Nações Unidas. A tabela abaixo mostra a situação da Suíça no relatório da ….

Confira antes de ir!

A Associação Internacional de Lésbicas e Gays “ILGA – International Lesbian and Gay Association”, www.ilga.org produz um relatório anual sobre os países que protegem e reconhecem os direitos dos membros da comunidade …..